Ser ou não ser otário?

25 08 2009

gripeDuas semanas sem aula são sempre bem-vindas, especialmente no inverno. Mas quando todos os locais que você costuma frequentar nos dias de folga estão fechados as coisas não parecem ser tão interessantes assim. A única alternativa é a vídeo locadora. Infelizmente, em tempos de Gripe A, a disponibilidade de filmes é bem reduzida…

E é sobre essa gripe que eu fico divagando nas horas de folga.

Primeiro, sobre o nome: Convencionou-se que não deveria ser chamada de “Gripe Suína” porque isso faria com que as pessoas parassem de consumir carne de porco e a economia nacional seria afetada. Achava isso desnecessário, depois de tanto se bater na tecla de que o porco é inocente eu acreditava que não faria muita diferença. Eis que ontem sou surpreendido com um jovem que indignado pergunta por que não matam todos os porcos pra acabar de vez com a gripe. O grande problema aqui é que ele estava falando sério. Não precisei mais do que isso pra entender que a problemática do nome é real. E os porquinhos, coitados, vão continuar levando a culpa pela incompetência humana…

A segunda linha de divagação é sobre essa teoria da conspiração. Teria sido essa gripe propositadamente disseminada no México por um laboratório estadudinense que precisava vender o grande estoque de Tamiflu que não tinha mais compradores? Assistindo ao Jornal da Globo, vi como os norte-americanos estão se preparando para a gripe no inverno deles. E o cientista animadamente explicou que eles aprenderam muito com o comportamento do vírus nos países do sul e estão preparados pra enfrenta-lo. Pra mim fez um certo sentido essa teoria. E mais do que isso, me senti um rato de laboratório. Um daqueles branquinhos bonitinhos que ainda está na lista de espera pra ser infectado pelo vírus. Se aprenderem o suficiente com os outros eles liberam a vacina e eu escapo do teste, do contrário, serei infectado e estudarão os efeitos do vírus no organismo de um rato do sul que costuma ser relativamente resistente à gripe.

Mas o que mais me irrita é que os meios de comunicação insistem em dizer que a Gripe A mata menos que as outras gripes e que não há motivo para pânico. Ok, entendi. Mas se é assim, por que fecharam escolas, bares, restaurantes? Por que a guria que trabalha no posto de saúde me disse que tá morrendo muita gente com suspeitas dessa gripe e que as autoridades não estão divulgando?

Sinto que estou sendo enganado! Eu só não sei por quem…





Ser ou não ser feliz?

2 07 2009

feliz?Fato: eu sou feliz! Gosto dessa condição, sei que a mereço e pretendo continuar assim por muito tempo. Contudo, a felicidade, eventualmente, pode ser bastante chata. Principalmente quando você não apenas É feliz, mas ESTÁ feliz.

Sabe aquelas pessoas que ficam sorrindo o tempo todo, falam com voz quase musical e pregam que tudo no mundo é maravilhoso? Essas pessoas não são detestáveis? Pessoas felizes demais me incomodam.

E o problema de hoje (que já vem se arrastando por alguns dias) é que estou me sentindo feliz demais… Isso me irrita! E não é porque eu sou daqueles que adoram se lamuriar e mostrar como tudo dá errado na minha vida  pra fazer todos terem pena de mim (aliás, outro tipo de pessoa detestável). É irritante me sentir feliz porque eu fico completamente improdutivo, afinal, pra quê me esforçar pra ter uma vida melhor se eu já sou feliz? Por que eu ficaria horas estudando pra poder fazer algo que melhore o mundo se o mundo já é maravilhoso? Até meu sarcasmo e meu cinismo desaparecem! Fico compreensivo: aceito que pessoas burras são fruto de uma sociedade que ainda não chegou no seu estágio máximo de evolução, mas que caminha pra isso, e, por fazer parte dessa transformação, me sinto um privilegiado por viver nesta época. Meu senso estético (que já não é grande coisa) desaparece completamente: acho tudo bonito. E nesse achar tudo bonito é que mora o perigo:  “Você lembra por que eu não queria sair com ele? Ah, sim… Porque ele não me atrai. Mas ele fica tão bonitinho com roupas de inverno…”

Preciso de um inibidor de serotonina!!! Ou de alguém que me provoque, me desafie, me mostre que o mundo não é tão maravilhoso quanto eu estou pensando que ele é. Porque eu sei que ele não é, mas felicidade é emoção e com emoções não adianta ser racional.





Ser ou não ser a diferença?

24 06 2009

mudancaSemana passada eu estava realmente irritado com o mundo (com a sociedade brasileira, pra ser mais exato) e então resolvi refletir sobre a situação e sobre minhas atitudes para melhorá-la. Afinal, não existe nada de errado em não estar satisfeito com uma situação, só não podemos deixar de nos perguntar o que estamos fazendo para mudá-la. 

 Meu balanço:

 – Não gosto de gente burra: Tô me instruindo! E incentivo os que estão perto a fazerem o mesmo!

– Não gosto de assassinatos na parada gay: Não participo e incentivo a não participarem.

– Não gosto de políticos corruptos: Não voto neles. (Em quem eu voto? Use sua imaginação…)

– Não gosto do Super Pop: Assisto a TV Escola (aproveito e me instruo).

– Não gosto de teorias sobre o fim do mundo: Sou agnóstico.

– Não gosto da cultura machista: Incentivo a Tati a não passar as camisas sociais do marido.

– Não gosto de gente que joga lixo no chão: Não jogo lixo no chão. E incentivo quem está perto a fazer o mesmo.

– Não gosto do preconceito contra gays: Finjo que sou heterossexual.

 Como dá trabalho mudar o mundo!

E você, o quê está fazendo para me ajudar?

– Não gosto de pessoas que não me ajudam a mudar o mundo!





Ser ou não ser brasileiro?

18 06 2009

para o blog

Adorei o último post da Tati (‘Amélia é que era uma fdp’)! Sabe que o texto ‘Machismo na França’ da nossa correspondente venenosa, Amanda, também me deixou puto? Li esse post à noite e passei o dia inteiro seguinte pensando no que ela escreveu, não só sobre as pessoas dividirem tarefas domésticas, mas sobre os valores que essas civilizações mais desenvolvidas têm (não trair, não dar cantadas grotescas) que nós não temos. Quando eu penso nisso me dá vergonha de ser brasileiro…

Tô puto também com o que aconteceu na parada gay! Não que eu goste da parada em si, não tenho uma opinião formada sobre o assunto, mas explodir bombas ou quase matar um cara a chutes é muita ignorância! Se você não gosta de gays, pelo menos pense no dinheiro que eles estão deixando na tua cidade!

E naquela mesma noite, a TV estava ligada no programa Super Pop (écowpt!) e acabei assistindo a uma discussão sobre o fim do mundo em 2012. Eu parei para ver os absurdos que o povo dizia e o que mais me impressionou foi que o entrevistado, um cético que questionava o que estavam dizendo, foi “detonado“. Eu fiquei puto! Pessoas falando absurdos sem nenhum fundamento científico sendo aplaudidas enquanto um cara realista era vaiado e chamado de mal-educado pela apresentadora? Hello-ôw!!!! O Brasil definitivamente merece ser o que é…

Nossa como eu tô puto! Quero ir embora!





Ser ou não ser um insatisfeito?

12 06 2009

Valentines__by_Misantropia 
Dia dos namorados…

Casais apaixonados trocando presentes e tudo mais enquanto eu me pergunto: por que eu não tenho um(a) namorado(a)? Eu tinha várias teorias: não sou atraente, não tenho um carro com rodas bonitas, não tenho dinheiro etc. Contudo, há duas semanas um amigo me disse que o problema é que eu não aceito ninguém que não seja “perfeito”. Tentei argumentar a meu favor, mas a teoria dele definitivamente tinha fundamento…

O dilema aqui é que eu não estou disposto a mudar a minha definição de “perfeição” para um possível relacionamento afetivo. E a definição de pessoa perfeita que eu uso vem de um outro amigo: “tem que ser alguém que me atraia sexualmente e, principalmente, alguém com quem eu goste de conversar porque a maior parte do tempo estaremos conversando e não fazendo sexo”. Só dois pré-requisitos! Nem quero tanto… Não tenho culpa se essas pessoas quase não existem… E quando existem ou são homens heterossexuais ou são mulheres casadas…

O fato é que estar com alguém exige tempo e dedicação. Dá muito trabalho! Se não for pra ser com alguém legal, pra quê gastar tempo e energia com isso quando existe tanto pra ser feito por nós mesmos? (ficar rico, por exemplo).

De toda maneira, com ou sem presentes, espero que todos tenham um excelente dia dos namorados!





Coluna Ser ou não ser – O ódio enrijece o músculo cardíaco!

5 06 2009

coração
O ódio! Ai o ódio!” Vocês perceberam a intensidade com que a nossa amiga Tati está colocando esse sentimento negativo no universo? (último parágrafo do post “Por que parei de fumar mesmo?“).

Por isso, hoje não vou falar de “viadagens”. Hoje o assunto é sério: SAÚDE!

Parar de fumar pra sentir ódio não resolve nada! Meu amigo me disse que o ódio enrijece o músculo cardíaco (que é formado por células longas, ramificadas, mononucleadas e anastomosadas). Em outras palavras o ódio faz mal pro coração! E também pro tecido epitelial: Radicais livres -> Rugas… Vocês conhecem a história toda, né? Odiar e fumar são tão parecidos no mundo fisiológico. Portanto, não sintam ódio, ok?
 
Ah, sim… Eu deveria ensinar como não sentir ódio, mas dá muito trabalho. Apenas tentem não esquecer das rugas (porque no coração sei que ninguém vai pensar). Se já for meio tarde e as rugas já estiverem bem visíveis, procure um dermatologista, vocês ficarão impressionados com o que eles são capazes de fazer. A medicina à serviço da beleza é mesmo incrível! Mas isso já é outro assunto…





Ser ou não ser gay? – A Gênese

3 06 2009

Sex Fairy

Por que você virou gay?” Com certeza essa é uma das piores perguntas que alguém pode me fazer. No mínimo vou pensar que a pessoa é ignorante (e eu não sou muito fã de ignorantes).

PORRA! Eu virei gay por causa da Fada da Sexualidade! Assim como acontece com todo mundo, quando eu era criança ela apareceu pra mim e me perguntou se eu queria ser heterossexual ou homossexual. Na época, eu achei melhor ser homossexual. Na verdade, ela apareceu muito cedo pra mim… Eu era muito inocente e não sabia o que esses “termos técnicos” significavam. Logo que ela entrou no meu quarto eu até achei que ela fosse a Fada do Dente (que nunca apareceu pra mim), mas ela me explicou que era de uma empresa diferente. Ela foi bastante gentil quando eu perguntei qual era a diferença entre um heterossexual e um homossexual e me respondeu: “Existem poucas diferenças entre as duas opções, mas ser homossexual é um pouco mais difícil em alguns aspectos“.

Isso era tudo o que eu precisava saber! Não sei como a Fada do Dente recompensava vocês, mas a mim ela recompensava com dinheiro. E, quanto mais difícil de se tirar um dente, melhor era a remuneração por ele. Se ser homossexual era mais difícil, a remuneração certamente seria melhor, afinal, no mundo das fadas as coisas deveriam funcionar assim… Deveriam…

Mas só depois de muitos anos descobri que a empresa da Fada da Sexualidade era uma empresa que não remunerava ninguém. Entrei com uma ação contra ela, mas não consegui indenização. Alegaram que essas escolhas são de caráter irrevogável. Mesmo assim foram obrigados a me conceder “atração sexual por loiras peitudas” porque foi comprovado que a Fada que me atendeu era nova na empresa e por isso poderia não ter sido suficientemente clara na descrição do produto oferecido.

Então, não me encarem como pervertido, sou só mais uma vítima do mundo lúdico…