Ser ou não ser barriga verde?

27 01 2010

Barriga verde é uma das formas que você pode usar para se referir a uma pessoa que nasceu em Santa Catarina. Não me pergunte o motivo, só sei que é assim…

No sul existe um estado com o setor industrial bastante forte (Rio Grande do Sul) e um com o setor agrícola que se destaca (o Paraná). Em um cenário desses falta alguém pra fazer festa, né? E é aí que entram os catarinenses!

Ok, ok, nem só de festas vivem os catarinenses, o estado tem um parque industrial bem diversificado e a agropecuária também é bastante forte. Entretanto, o grande diferencial de Santa Catarina são os atrativos turísticos. Pra meu azar eu estou próximo da região oeste do estado, também chamada de “velho oeste” (acredite, esse apelido da região não é mera coincidência), as festas estão mais próximas do litoral…

Sabendo do potencial turístico, o estado investiu em um projeto bem legal chamado de “Portais do Lazer”. Nas cidades da fronteira existem locais onde você tem acesso a informações sobre os melhores pontos turísticos do estado. Algumas das pessoas que trabalham nesses lugares precisam de mais treinamento, mas os mapas são bem fáceis de entender.

A melhor época para visitar o estado, sem dúvida, é o mês de outubro. Nesse mês você pode entrar no circuito das festas: Oktoberfet, em Blumenau (maior festa típica do país que, no quesito “festa popular” só perde para o carnaval); Fenarreco, em Brusque; Bananenfest, em Corupá; Schützenfest, em Jaraguá do Sul; Marejada, em Itajaí; Fenaostra em Florianópolis e eu provavelmente esqueci de alguma, porque são várias! Sem contar que nessa época o movimento no Beto Carrero World ainda não é tão intenso e fica mais fácil conhecer todo o parque e se divertir naqueles brinquedos sensacionais (o parque é incrível, vale muito a pena!).

Quem gosta do frio pode ir se congelar em São Joaquim no inverno (com boas chances de ver neve) ou pode ir pra festa (outra!) do pinhão em Lages.

Dizem que os finais de ano são excelentes em Floripa e que, se não fosse por divergências políticas, o Reveillon de Floripa deste ano ficaria no páreo com o de Copacabana. Eu passei o Natal em Chapecó (no oeste), a decoração da cidade estava incrível e, pra ninguém reclamar de que não tinha festa, todas as noites (sim, TODAS!) tinha algum show na cidade (tudo ‘de grátis’).

Alguma dúvida de que os catarinenses sabem como se divertir?





Ser ou não ser do sul?

17 01 2010

Não sei ao certo como isso começou, mas desde que me entendo por gente tenho esse sentimento especial pelo sul. Embora eu tenha nascido no Paraná, a região onde vivi (na fronteira com Santa Catarina) foi colonizada essencialmente por gaúchos, portanto, meu amor por cada um desses três estados é o mesmo.

Talvez eu seja um pouco bairrista, mas acho pouco provável que uma pessoa que realmente ame a sua terra não seja. O separatismo é um sentimento bastante forte por aqui e, confesso, já concordei com a idéia. Mudei de opinião depois de conhecer a fundo a história do nosso país, mas dificilmente alguém vai me fazer deixar de ter Bento Gonçalves como um dos meus maiores heróis (sem levar em consideração o Batman, o Homem-Aranha e os Cavaleiros do Zodíaco, claro).

Nos últimos 30 dias estive perambulando pelo Rio Grande do Sul e por Santa Catarina e pude, além de rever, conhecer vários lugares incríveis desses dois estados. Durante a semana vou tentar colocar aqui tudo o que eu vi e que me chamou a atenção, assim, se alguém pretende vir ao sul algum dia, terá uma idéia (meio tendenciosa, é verdade) do que poderá encontrar.