Ser ou não ser pop?

9 06 2010

O mundo POP já não é mais o mesmo… Lembro-me de quando Madonna escandalizava a todos com musiquinhas inocentes do tipo “Like a Virgin”. Lembro também das Spice Girls e seu “Girl Power” na tentativa de finalmente colocar as mulheres no mesmo nível que os homens quando o assunto era sexo. Tivemos algumas tentativas de termos sucessoras de Madonna e a Britney, que parecia ser a escolhida, não deu conta. Chegou perto, é verdade, quem não lembra daquele beijo Madonna/Aguilhera Madonna/Britney (how could it hurts you when  it looks so good?)? Mas parece que o século XXI precisou chegar às portas de sua segunda década para que as coisas começassem realmente a mudar e para que tivéssemos uma verdadeira sucessora para Madonna.

Nas últimas duas semanas vi dois videoclips que me deixaram realmente impressionado. O primeiro foi “All The Lovers” da Kylie Minogue. Que clip é aquele? Perdi a conta de quantas vezes assisti e acho que ainda não entendi o que ele quer dizer. É impossível não pensar em uma grande suruba a céu aberto, mas, quando chegamos nos segundos finais do clip já não há mais como pensar na perversão que estava na sua cabeça quando o clip começou. O clip é lindo e, por mais bizarro que possa parecer, aquela suruba termina de uma forma tão pura que faz você se sentir mal por passar o clip todo vendo obcenidades onde não existe (ou será que existe?). A única coisa na qual eu tento não pensar muito é na mensagem que quiseram passar com aquele cavalinho branco (medo de descobirir!).

E, ontem, vi  o segundo clip que me deixou boquiaberto: Alejandro. Acho que já é consenso que Lady Gaga é a sucessora natural de Madonna e, por mais que eu tenha relutado em gostar dela, acho que deve ter aguma coisa no sangue dos viados que faz Lady Gaga funcionar como um imã… Mas, vamos ao clip: se Kylie Minogue já tinha me deixado impressionado, Lady Gaga foi além. Estou em choque! Não imaginei que viveria para ver cenas como essas… Acho que aqui não existe nada de puro nas perversões que ficaram (ou não) subentendidas. Mas o que mais me agradou foram aqueles homens fortões em posições que normalmente são ocupadas pelas mulheres. Sempre é muito comum ver a própria estrela em posições submissas ou se contorcendo em uma cama, mas Lady Gaga foi diferente. Ela está lá naquelas cenas eróticas, mas não como a submissa da história. Por que seguir os padrões quando queremos quebrar com eles, não é mesmo? Não que eu seja contra as mulheres estarem na posição “submissa”, mas por que só elas? Por que demorou tanto para os homens serem colocados no mesmo lugar? Ah, claro… As mentes machistas que encaram a submissão como uma situação degradante que só pode ser aceita por mulheres… Acho que Lady Gaga pensa diferente. E, embora eu concorde que homens e mulheres precisem ser tratados igualmente, ao terminar de ver o clip não pude deixar de me perguntar: será que a submissão é realmente uma posição inferior?

Os clips são excelentes, fizeram eu me sentir realmente no século XXI, mas o fato de eles terem me impressionado desse jeito me deixa preocupado. Será que tenho a mente tão aberta quanto pensei que tinha? Será que meus conceitos que eu julgava serem avançados para o século XX são ultrapassados no século XXI?

Acho que meu lugar no tempo é este e terei o resto da minha vida para tentar descobrir se sou realmente capaz de aceitar as diferenças e me adaptar às mudanças. Não parece uma tarefa muito fácil, mas, com certeza, será divertido!