Ser ou não ser brasileiro?

18 06 2009

para o blog

Adorei o último post da Tati (‘Amélia é que era uma fdp’)! Sabe que o texto ‘Machismo na França’ da nossa correspondente venenosa, Amanda, também me deixou puto? Li esse post à noite e passei o dia inteiro seguinte pensando no que ela escreveu, não só sobre as pessoas dividirem tarefas domésticas, mas sobre os valores que essas civilizações mais desenvolvidas têm (não trair, não dar cantadas grotescas) que nós não temos. Quando eu penso nisso me dá vergonha de ser brasileiro…

Tô puto também com o que aconteceu na parada gay! Não que eu goste da parada em si, não tenho uma opinião formada sobre o assunto, mas explodir bombas ou quase matar um cara a chutes é muita ignorância! Se você não gosta de gays, pelo menos pense no dinheiro que eles estão deixando na tua cidade!

E naquela mesma noite, a TV estava ligada no programa Super Pop (écowpt!) e acabei assistindo a uma discussão sobre o fim do mundo em 2012. Eu parei para ver os absurdos que o povo dizia e o que mais me impressionou foi que o entrevistado, um cético que questionava o que estavam dizendo, foi “detonado“. Eu fiquei puto! Pessoas falando absurdos sem nenhum fundamento científico sendo aplaudidas enquanto um cara realista era vaiado e chamado de mal-educado pela apresentadora? Hello-ôw!!!! O Brasil definitivamente merece ser o que é…

Nossa como eu tô puto! Quero ir embora!

Anúncios




Ser ou não ser gay? – A Gênese

3 06 2009

Sex Fairy

Por que você virou gay?” Com certeza essa é uma das piores perguntas que alguém pode me fazer. No mínimo vou pensar que a pessoa é ignorante (e eu não sou muito fã de ignorantes).

PORRA! Eu virei gay por causa da Fada da Sexualidade! Assim como acontece com todo mundo, quando eu era criança ela apareceu pra mim e me perguntou se eu queria ser heterossexual ou homossexual. Na época, eu achei melhor ser homossexual. Na verdade, ela apareceu muito cedo pra mim… Eu era muito inocente e não sabia o que esses “termos técnicos” significavam. Logo que ela entrou no meu quarto eu até achei que ela fosse a Fada do Dente (que nunca apareceu pra mim), mas ela me explicou que era de uma empresa diferente. Ela foi bastante gentil quando eu perguntei qual era a diferença entre um heterossexual e um homossexual e me respondeu: “Existem poucas diferenças entre as duas opções, mas ser homossexual é um pouco mais difícil em alguns aspectos“.

Isso era tudo o que eu precisava saber! Não sei como a Fada do Dente recompensava vocês, mas a mim ela recompensava com dinheiro. E, quanto mais difícil de se tirar um dente, melhor era a remuneração por ele. Se ser homossexual era mais difícil, a remuneração certamente seria melhor, afinal, no mundo das fadas as coisas deveriam funcionar assim… Deveriam…

Mas só depois de muitos anos descobri que a empresa da Fada da Sexualidade era uma empresa que não remunerava ninguém. Entrei com uma ação contra ela, mas não consegui indenização. Alegaram que essas escolhas são de caráter irrevogável. Mesmo assim foram obrigados a me conceder “atração sexual por loiras peitudas” porque foi comprovado que a Fada que me atendeu era nova na empresa e por isso poderia não ter sido suficientemente clara na descrição do produto oferecido.

Então, não me encarem como pervertido, sou só mais uma vítima do mundo lúdico…