Coluna ‘Enfim Sós’ – E o Rio de Janeiro, continua lindo???

19 01 2010

Sim, amiguinhos, voltei! Aproveitei o recesso de final de ano e me dei um descanso de todas as obrigações não relacionadas ao trabalho, até porque eu também sou filha do Homem, né mesmo?!

Mas agora estou de volta e prometo me esforçar ao máximo para manter minha coluna atualizada semanalmente (faz parte das minhas resoluções para 2010!). Conto com a ajuda do meu fiel companheiro de destilaria para manter vocês interessados e encher esse blog de venenos deliciosos.

Porém, já começo o ano quebrando a rotina e pedindo para vocês um minutinho de atenção para o desabafo de uma carioca revoltada com a situação de segurança da cidade do Rio de Janeiro.

Esse mês, tive uma notícia terrível: um amigo de infância morreu depois de levar um tiro no peito na saída de uma casa de festas na zona norte do Rio. Quando a minha prima veio me contar o que tinha acontecido, eu nem acreditei, porque tinha ouvido naquela manhã a notícia do tiroteio e lidei com aquela informação como a maioria das pessoas fazem: ‘que merda, né?! Mas isso foi na Penha, não vai acontecer comigo’.

O problema é que aconteceu, não comigo, mas com alguém que eu conheço. O que mais me enojou nessa situação é que eu, como a maioria dos cariocas, sou tão apática que foi necessário um amigo de infância morrer para eu me revoltar com o problema de segurança do Rio de Janeiro.

Só nos últimos dois meses, já fui quase assaltada 3 vezes e achava que isso era normal, que eram conseqüências dessa época no do ano. Normal o que, cara pálida? Desde quando é normal ter que andar pela cidade onde moro em estado de pânico, olhando por todos os lados à espera de algum marginal brotar do chão para tentar me assaltar? Não fosse esse comportamento ‘sempre-alerta’, eu com certeza tinha rodado na mão dos motoqueiros que tentaram fechar o meu carro na volta da pós, ou do trombadinha que tentou me assaltar quando desci do ônibus na volta do trabalho, ou até mesmo dos também motoqueiros que seguiram meu carro na entrada da Grajaú-Jacarépaguá.

As pessoas estão dizendo que esse aumento da violência nas ruas é conseqüência do plano de pacificação dos morros. A lógica é simples, como o governo está tentando acabar com o tráfico de drogas nas comunidades, os marginais têm que arranjar outra forma de ganhar dinheiro, ou seja, descem todos para as ruas e escrotizam os cidadãos de bem. Resultado? Os cariocas estão começando a ser contra o projeto do governo.

Agora eu me pergunto, é pra deixar como está e não fazer nada? Vamos conviver pacificamente com os marginais e rezar para eles não decidirem tomar conta da cidade? Por outro lado, a ação de pacificação vai custar a vida de mais quantas pessoas? Eu realmente não sei a resposta para essas perguntas, eu só fico puta é com a apatia de todos em relação ao cenário caótico em que nossa cidade se encontra.

Ontem mesmo mais uma conhecida sofreu um seqüestro relâmpago… E a classe média, formadora de opinião e politicamente engajada no Twitter só sabe atacar os serviços do Metrô RioO que é mais importante para o carioca: chegar mais cedo ou chegar vivo em casa?

Tenho certeza que os amigos e a família do Marcelo sabem essa resposta. O filhinho dele de dois anos também vai saber quando tiver idade suficiente para opinar.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

19 01 2010
luci

nossa.

quando me perguntam se eu quero voltar ao brasil, penso logo na violencia e respondo que nao. e olha que eu morava em joao pessoa! cidade que tem fama de ser tranquila. ultimamente a fama dela tem que ser revista. na ultima semana em que passei la, antes de ir pro exterior, um cara tentou me assaltar (meu passaporte tava na bolsa). justamente por eu andar ligada eh que o mané nao conseguiu tomar a bolsa de mim. mas eh tao chato ter que andar ligada! eh tao chato ter que analisar cada cidadao que chega perto de voce… afinal, qualquer pessoa é um assaltante em potencial 🙂

claro que o caso do rio eh extremo. e essa de deixar a sujeira debaixo do tapete nao resolve nada. tem que liberar o uso de certas drogas 😛

19 01 2010
tatyseixas

Pois é, Luci. O problema é que nem todo mundo tem a oportunidade de fugir para outro país mais civilizado.

Só acho que as pessoas que moram aqui e têm influência, ou são formadores de opinião na internet, pouco fazem para chamar atenção para esse tipo de problema que afeta todo o país. Gastam todo o seu folego criticando empresas como a Claro, Metrô Rio, Net, dentre outras. Mas violência é um papo muito chato mesmo, é melhor mudar de canal ou virar a página do jornal…

Por essas e outras é que as pessoas que, como você, conseguem abandonar o barco e ver o que realmente é um país sério, decidem nunca mais voltar.

Beijos e obrigada pelo apoio!

21 01 2010
Amanda

A grande pergunta é: você estaria disposta a ganhar mil reais por mês para ter uma cidade menos violenta?

29 01 2010
tatyseixas

Tendi não… Exprica tia…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: