Ser ou não ser um Destilador de Venenos?

28 05 2009

Cain

A história de como vim parar aqui é simples: a Tati me convidou! ^^
 
Me considero um cara feliz, realizado em vários aspectos (74% deles) e de bem com a vida (a piranha me cobrou adiantado, agora ela é q me deve favores). Parece estranho que uma pessoa assim queira reclamar da vida em um blog, mas… Não é porque minha vida vai muito bem (obrigado) que eu tenho q me conformar com tudo (violência, pobreza, impostos, TV aberta no domingo…), certo? Sou um pouco intolerante com a ignorância e tenho pavor de gente coitadinha que não faz nada pra mudar a própria realidade! Claro que todos têm o direito de se lamuriar eventualmente, mas tem gente q faz isso o tempo todo! Não aceito!
 
Eu não sou muito gay na vida real (7% gay), mas aqui serei o tempo todo pq foi pra isso q a Tati me chamou. Na realidade não chamou… Me obrigou! Disse q se eu não fosse o gay do blog, ela ia contar tudo pra minha mãe… A parte boa é q agora ela vai ter q achar um namogatinho pra mim (ela prometeu!).
 
Enquanto os nossos amigos solteiros heterossexuais não dão as caras por aqui, aproveitem a Tati e eu q formamos uma espécie de Will & Gracede uma realidade alternativa (um dia a gente conta a história toda).





Coluna ‘Enfim, sós’ – Como me casei aos 25 anos

25 05 2009

bride

Na verdade, nunca sonhei em me casar. Sempre achei que ia terminar morando junto com um carinha e embuchando quando fosse a hora de embuchar. Mas casar mesmo, nunquinha! Amigos voyeres, eu até achava ridículas aquelas meninas que ficavam repetindo o mantra: ‘To ficando pra titia, já tenho 25, até conhecer um cara legal terei 26, até noivarmos 27, até planejar o casamento 28, até casar 29, até ter filho 30’.

Não me julguem… Como eu podia adivinhar que ia encontrar meu Ogrinho antes dos 30 anos? Pra vocês terem uma noção da falta de planejamento, eu já conhecia meu Ogro antes mesmo de reparar nele e, quando reparei, nem estava muito a fim de conhecer ninguém. Eu estava naquela fase ‘eu me basto’, ‘Homem é Tudo Palhaço’ e ‘na próxima vida quero ser lésbica’. Acredito que se fosse qualquer outro, eu cagaria solenemente.

Pois bem… Quando reparei já estava namorando sério e, depois da segunda piscadela já estava noiva, de apartamento comprado e planejando a festa de casamento. Casamento… Hum… Essa foi outra surpresa. A primeira idéia era casar na praia, com um vestidinho florido, em uma cerimônia para amigos mais íntimos, família mais próxima e com um amigo ‘Joey’ como mestre de cerimônias. Quem disse que consegui o que queria? As coisas mudaram tão rapidamente de proporção, que nem sei ao certo como fui acabar gastando trinta mil em uma festa para 250 convidados e dentro de um vestido que pesava 3 quilos. A única coisa que consegui manter foi não casar na igreja, até porque hipocrisia tem limites e eu sou agnóstica, kct!

Enfim, amiguinhos voyeres, não estou reclamando da minha vidinha, só estou dizendo que parece que cai aqui de pára-quedas e que não deu tempo pra me preparar direito pro que vinha. Pois bem, curtam comigo as peripécias da minha vidinha mais ou menos. E não percam: no próximo post tem a história do dia fatídico – o casamento!





Coluna ‘Enfim, sós’ – Como virei destiladora de venenos

25 05 2009

 time_by_ahmed101

Alguns poucos amigos já conhecem a brincadeira por trás desse blog e da minha coluna ‘Enfim, sós’. Mas, para benefícios dos nossos outros voyeres menos por dentrex, vou explicar porque tivemos essa idéia sádica: foi, ‘tipo assim’, para substituir 1 hora de psicanálise por semana / confissão ao padre / confidência para melhor amiga / caixa mega, ultra, power, advanced de chocolate / potão de Häagen-Dazs e saco de pancada.

A minha vida depois que casei virou uma corrida maluca. Mal dá tempo de respirar, quem dirá desabafar com alguém sobre as sandices que me acontecem e as paranóias que só eu tenho quase todos os dias. Por isso (e para não enlouquecer meu maridinho ogro), achei mais fácil botar no papel (no caso, nesse blog), meus pensamentos doidos de cada dia.

Mas, antes de pôr a mão na massa, resolvi comentar com 3 dos meus melhores e mais venenosos amigos sobre essa idéia e não é que eles gostaram tanto que resolveram escrever também? Pois bem, esse é o post de abertura da minha coluna. Em breve, os meus companheiros venenosos estréiam por aqui também! Não percam, porque tem muita coisa boa vindo por aí!





Bem-vindos ao Destilando Veneno!

5 05 2009

 

Demorou, mas parimos a criança:
Destilando veneno está no ar, úh – rul!

 

my precious!

Esperamos que essa nossa cria já nasça divertindo os dias de nossos amiguinhos voyeres. Vocês estão convidados a espiar nossos desabafos, histórias e críticas venenosas 24 horas por dia, seja durante o ócio no trabalho, aula chata na faculdade ou até mesmo de casa, pq a TV a cabo é uma merda e a aberta um cú.

É isso, gente! Aproveitem pra ler mais sobre o Destilando Veneno e fiquem à vontade, porque o espaço é nosso, mas vocês também podem destilar seus venenos aqui: é só mandar pra gente suas histórias venenosas!